Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Sanatório de Valongo

19.10.13

O hospital psiquiátrico puxou-nos para caches mais elaboradas. São mais difíceis, mais complexas, seguem um maior número de pistas, mas aumentam-nos proporcionalmente a adrenalina e o divertimento. O aumentar do número de pistas e fases numa só cache aumenta a probabilidade de uma ou mais pistas se encontrarem desaparecidas. Tem sido assim nas últimas que fizemos. Isso aumenta substancialmente a dificuldade e exige uma maior experiência dos intervenientes (geocachers).

Assim, optámos por aumentar a dose de aventura. Organizámos um grupo maior e fomos de noite descobrir o Sanatório de Valongo!

A par da unidade de Paredes de Coura trata-se de mais uma instalação abandonada que testemunha o flagelo que foi a tuberculose em Portugal. A epidemia passou mas o número de hospitais abandonados e as suas dimensões levam-nos para uma realidade pouco remota.

São inúmeros os sanatórios em estado de ruína no nosso país. Tipicamente situados em solarengas encostas montanhosas, em locais de elevada altitude, ofereciam pureza de ar e paz, dado o afastamento das povoações. É o reino da tranquilidade, da qualidade de vida, de paisagens de sonho. Tudo isto desprezado numa inconsciente política que esquece este valioso parque imobiliário.

Numa época de vida citadina e azáfama diária, cada vez mais a especialidade psiquiátrica ganha dimensão. Porque não reaproveitar estes espaços? Sejam eles para hospitais especializados no tratamento mental que tanta falta faz hoje em dia, como para pousadas e casas de repouso. São os melhores locais – seguramente – para a limpeza da mente e para o rejuvenescimento da alma.

Situado no Monte de Santa Justa, o Sanatório de Valongo foi construído em 1932 pelo Estado Novo, com obras de ampliação terminadas em 1958. É composto para além do seu edifício principal – que no auge albergou mais de 300 doentes – por uma capela, escola e edifício de lavandaria. Tem uma magnífica vista para o Grande Porto!

O estado de degradação que vêem teve início em 1974 pela extrema-esquerda que o roubou, espoliou e vandalizou. Como se nota pelas fotos, todos os edifícios arderam, e, curiosamente, a estrutura principal não aparenta grandes danos, o que atesta a qualidade da construção.

Hoje o espaço é cenário para jogadores de paintball, entusiastas do todo-o-terreno, bem como por geocachers. Também já tive a oportunidade de ver trabalhos fotográficos com modelos feitos no local. Pelo menos está a ser aproveitado por alguém…

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 23:42