Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Ideias para o futuro da RTP

31.08.12

Haverá necessidade de um país como o nosso possuir tantos canais televisivos de «serviço público»? Na minha opinião, não!

 

Julgo que no «serviço público» não encaixam concursos, filmes amplamente divulgados (nomeadamente americanos) ou jogos de futebol. O papel do Estado no mercado televisivo deverá oferecer conteúdos que não existam a granel nos restantes canais. Devemos dar amplitude à informação nacional e regional, aos debates, à revelação, aos documentários, ao passado fazendo uso do valioso arquivo histórico existente, a séries históricas, magazines, filmes antigos e/ou pouco comerciais, teatro (que nunca mais se viu nos ecrãs), etc.

 

Actualmente o que mais se aproxima do modelo referido atrás é a RTP 2. Canais como a RTP Memória, RTP Informação e RTP África são para terminar. Alguns dos conteúdos da RTP Memória e da RTP Informação são passíveis de entrar num modelo próximo à RTP 2. E no que toca à internacionalização podemos dizer que a existência de apenas um canal é suficiente, seja a RTP Internacional.

 

Assim, na Televisão Digital Terrestre a oferta seria composta por um canal da RTP privatizado; a RTP 2 ou simplesmente RTP num modelo de «serviço público»; a SIC; e a TVI. Quanto ao espaço existente para um quinto canal, seriam realizados concursos públicos por regiões, incluído assim na oferta da TDT um canal generalista regional por cada província e região autónoma.

 

Actualmente a RTP 2 consome cerca de 40 milhões de euros, não havendo necessidade do novo canal custar mais que isso. E mesmo que para as contas entre o custo da manutenção do arquivo da RTP, existem condições para reduzir a taxa do audiovisual pelo menos para metade e eliminar de vez as transferências do orçamento de Estado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 12:04




Pesquisa